Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2012

Feliz Ano 2013

Mudam-se os Tempos, Mudam-se as Vontades
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, 
Muda-se o ser, muda-se a confiança: 
Todo o mundo é composto de mudança, 
Tomando sempre novas qualidades. 

Continuamente vemos novidades, 
Diferentes em tudo da esperança: 
Do mal ficam as mágoas na lembrança, 
E do bem (se algum houve) as saudades. 

O tempo cobre o chão de verde manto, 
Que já coberto foi de neve fria, 
E em mim converte em choro o doce canto. 

E afora este mudar-se cada dia, 
Outra mudança faz de mor espanto, 
Que não se muda já como soía. 

Luís Vaz de Camões, in "Sonetos"

Paulo Rocha (22-12-1395/ 29-12-2012)

Nasceu no Porto em 22 de Dezembro de 1935, abdicou dos estudos de Direito para estudar cinema no IDHEC, na cidade de Paris, trabalhou como assistente estagiário do gigante Jean Renoir em "O Cabo de Guerra (1962)" e foi assistente de Manoel de Oliveira especialmente em Acto de Primavera (1963). Um Homem que viveu cinema e para o cinema, uma referência, um ponto incontornável, uma das figuras mais marcantes no contexto nacional. Um Homem que alterou e transformou o cinema português deu espaço e tempo a novas formas de conceber o espaço urbano, integrou a dicotomia cidade-campo e recriou e reinventou novos universos, um Mestre da projecção de realidade vs realidades. 
Filmografia  Vanitas(2004) As Sereias(2001) A Raiz do Coração (2000) Camões - Tanta Guerra, Tanto Engano (1998) O Rio do Ouro (1998) Portugaru San - O Sr. Portugal em Tokushima (1993) O Desejado (1988) A Ilha dos Amores (1982) A Pousada das Chagas (1972) Sever do Vouga... Uma Experiência (1971) Mudar de Vida (1966) Os Verdes An…

Os Verdes Anos (1963)

Grande Obra...
Grande referência para o cinema português!
Muito Obrigada Paulo Rocha
Que descanse em Paz

O Gebo e a Sombra - Trailer

Parabéns Manoel de Oliveira pelos 104 anos feitos no passado dia 11 de Dezembro

Manoel de Oliveira nasceu a 11 de Dezembro de 1908 na cidade do Porto, ainda que o registo fixe a data seguinte, segundo informação recolhida no Jornal Expresso. 
Foi no ano de 1928 que teve a sua primeira participação num filme de Rino Lupo e foi no ano de 1931 que estreou o seu primeiro filme, uma curta-metragem documental "Douro, Faina Fluvial". 
Conta desde então com 80 anos de actividade cinematográfica embora com algumas interrupções ainda no período do Estado Novo. Um percurso assinalável, único, incontornável, nem sempre consensual, admirável pela persistência e dedicação. Uma figura marcante na história do cinema português. 
Os mais sinceros PARABÉNS para o nosso realizador português que é considerado o mais velho realizador do mundo em actividade, estreou este ano "O Gebo e a Sombra", rodou uma curta metragem em Guimarães e esta a trabalhar em duas novas obras. 
Um exemplo de força e determinação.