Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2011

Bonecos de Santo Aleixo

Bonecos Santo Aleixo

São conhecidos em todo o Alentejo, em Portugal e no mundo. Segundo consta tiveram a origem na terra que lhes deu o nome “Santo Aleixo”, apelidados de títeres pois são títeres de varão, manipulados por cima à semelhante ao que acontece nas grandes marionetas do sul da Itália e de todo o norte da Europa, mas os nossos são pequenos com cerca de vinte a quarenta centímetros.  Bonecos Santo Aleixo

Ao que se sabe e desde meados do século XIX, foram “inventados” ou “reelaborados” os textos por um tal de Nepomucena, guarda de herdades, natural de Santo Aleixo que vendo-se envolvido numa rixa de que resultou a morte de um homem, refugiou-se em
S. Romão, perto de Vila Viçosa, próximo da fronteira com Espanha, dedicando-se para subsistir ao ofício de “bonequeiro”.
Mestre Talhinhas

O “estojo de bonecos” e textos tradicionais, que eram unicamente transmitidos por via oral, chegaram às mãos de Manel Jaleca através de sua mulher, que os recebeu dos seus antepassados. Manuel Jaleca q…

Renda de Bilros

Arquivofotografico de Lisboa, Trabalhos de renda de bilros 1908 Benoliel, Joshua 1873-1932 PT/AMLSB/JBN/002380
É nesse emaranhado de fios que se cruzam de forma quase hipnótica que me perco, num quadro lindo que conta histórias. Não conhecida a história exata da renda de Bilros, pode até admitir-se que os Fenícios puderam ter sido agentes divulgadores das rendas através das suas trocas comerciais ao longo da costa marítima portuguesas. Por outro lado há quem aponte para a chegada ao nosso pais através das trocas e contactos com a Europa de Norte, pois esta arte surge nos principais portos sendo um dos mais famosos o de Bruges. Arquivo fotografico de Lisboa, Trabalhos de renda de bilros PT/AMLSB/ACU/002441
É um trabalho minucioso e que requer habilidade, perícia e paciência. Consiste no cruzamento sucessivo de fios têxteis, obedecendo a regras de execução tais como: a execução sobre um pique e com a ajuda de alfinetes e de bilros. Especificando: o pique é um cartão, na maior parte das vezes …

Dia 1 de Dezembro 1640 - Restauração da Independência

Coroação de D. João IV de Veloso Salgueiro (1908) Óleo sobre tela, espólio do Museu Militar 
Feriado Nacional 1 de Dezembro 2011, faz hoje 371 anos deu-se a restauração da independência. Quem diria que passado tanto tempo o povo português esta a ressacar por uma nova restauração da independência desta vez não dos nossos vizinhos espanhóis mas sim dos eixo franco-Alemão que de forma descarada asfixia toda a Europa principalmente países periféricos e submissos como Portugal.  Na altura a morte de D. Sebastião, em Alcácer Quibir, que não deixou descendência entre outras motivos de natureza política, contribuíram para a perda da Independência de Portugal. Não havendo um sucessor direto, automaticamente a coroa passou para Filipe II de Espanha. Este por sua vez, aquando da tomada de posse, que se deu nas cortes de Leiria, em 1580,fez  promessa de zelar pelos interesses do País, respeitando igualmente as leis, assim como os usos e os costumes nacionais.  A história é repetitiva e aconteceu o m…